terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Futuro dos celulares

Como serão os aparelhos celulares daqui a cinco ou dez anos? Não acho que seja uma previsão díficil de acertar. Mas também não é algo tão óbvio. Venho acompanhando as tendências dessa tecnologia a algum tempo e me arrisco a dar alguns palpites.
Tamanho
Como diz o ditado, tamanho não é documento. De fato os celulares pararam de diminuir. Finalmente perceberam que celulares muito pequenos são extremamente desconfortáveis de usar. Lembro de um celular da Samsung, que mais parecia um chaveiro e era horrível de acertar os botões. Acredito que a corrida por celulares pequenos acabou. O tamanho dos celulares atuais, com exceção do Blackberry (que é ridiculamente grande), parece adequado. Um bom celular não pode ser muito pequeno, nem muito fino. Exageros comprometem o manuseio.
Peso
O peso dos celulares atuais também parece estar adequado. Talvez fique um pouco mais leve, mas não há muito o que se fazer nessa área. Não que não exista tecnologia disponível. Mas simplesmente não é necessário. Um celular leve demais também facilita extravios.
Tela
A tendência da tela é crescer cada vez mais. Logo, logo teremos aparelhos com telas enormes, no estilo iPhone ou maiores. Se houver teclado, esse será embutido, tal como o G1 (nunca teclados tradicionais como o N96 -- estes serão substituídos pela tela ou comando de voz). Acredito também que quase todos os celulares terão telas sensíveis ao toque. Só que as telas serão mais resistentes e menos suscetíveis a riscos.
Teclado
Como já mencinei acima, o teclado tende a ficar embutido pois, em geral, os aparelhos serão sensíveis ao toque. Mas aposto muito mais que o teclado vai é sumir de vez. Com a evolução das telas sensíveis ao toque e dos comandos de voz, o teclado será cada vez menos necessário. Entretanto, como os celulares serão cada vez mais utilizados como computadores pessoais, acredito que logo teremos aparelhos com teclados do tamanho de teclados de notebook projetados sobre uma superfície plana.
Sistema operacional
Esta sim é a área onde acredito que veremos as maiores revoluções nos celulares. Os sistemas operacionais e demais aplicativos estão evoluindo cada vez mais. Percebo uma tendência semelhante ao que ocorreu com os computadores pessoais no século passado. Daqui a dez anos os celulares continuarão vindo com um sistema operacional. Mas será algo básico. Existirão empresas especializadas em sistemas operacionais e aplicativos para celular. Isso já ocorre hoje. Mas em breve as plataformas vão se padronizar e poderemos trocar de sistema operacional como fazemos com os PCs atualmente. Os softwares vão ficar cada vez mais intuítivos e pesados. Acredito que o Android, da Google, por ter sido o primeiro, vai se consolidar como o produto mais utilizado. O pessoal da Apple vai continuar teimoso como sempre foi (pelo menos até que o Steve Jobs morra). Outros sistemas operacionais também existirão. O Linux continuará sendo uma opção pouco utilizada. Haverá também uma versão do Windows para celulares, mas não será tão utilizada. Assim como ocorre hoje com os PCs, haverá uma corrida pelo software mais utilizado, seja um browser, um navegador GPS ou até uma agenda de contatos superinteligente.
Bateria
As baterias não vão durar mais do que duram hoje. Qualquer evolução nessa área vai apenas acompanhar o maior consumo de energia dos celulares do futuro. Isso por que eles serão cada vez mais devoradores de recursos, assim como os PCs de hoje.
Periféricos
No futuro, deverão existir periféricos compatíveis com os celulares. Impressoras e monitores poderão ser conectados aos aparelhos. Os usuários poderão imprimir documentos e imagens direto dos celulares. A integração com o computador também será maior, especialmente para backup e troca de arquivos. A integração com câmeras não será necessária, pois todos os aparelhos já trarão uma de BOA qualidade embutida.
Reconhecimento de voz
Eis um recurso que nunca vingou. Não vingou por que simplesmente não funciona. Mas acredito que logo, logo um iluminado vai finalmente resolver o problema do reconhecimento de voz. Aí, poderemos utilizar o aparelho celular tanto para fazer ligações, quanto para digitar (ditar) longos textos sem a necessidade de um teclado. O reconhecimento de voz também será cada vez mais importante para a indústria em torno dos GPSs.
Conclusão
Considerando tudo o acima, vejo que os celulares não vão evoluir muito do ponto de vista do hardware. A grande revolução virá por meio do software, especialmente com o reconhecimento de voz, touch-screen e integração com outros periféricos. Transformar REALMENTE o celular um PC vai resolver de uma vez por todas a questão da inclusão digital dos países menos desenvolvidos. E tornará a internet REALMENTE acessível a todas as pessoas.

Nenhum comentário: