quarta-feira, 14 de maio de 2008

Faltam programadores no Brasil

Há alguns meses, li um artigo do Plantão Info (http://info.abril.com.br/aberto/infonews/) sobre a carência de mão-de-obra no setor de software brasileiro (http://info.abril.com.br/aberto/infonews/122007/18122007-1.shl). É um artigo interessante que confirma algo que já suspeitava: faltam programadores no Brasil. Por isso, é comum encontrarmos profissionais de outras áreas trabalhando com software. Já vi de tudo nessa vida. Administradores, advogados, teólogos e até médicos foram parar na área de desenvolvimento de sistemas das grandes empresas. Qual é o resultado disso? O resultado é que as empresas brasileiras gastam horrores com treinamento, perdem em produtividade e em qualidade. Além disso, não conseguem concorrer com as empresas lá fora.

No artigo citado, encontrei vários comentários de supostos profissionais desacreditando o artigo. Alguns desses profissionais, aparentemente bem qualificados, já estavam desempregados há meses e, por isso, acreditavam que a demanda por programadores não era tão grande como o artigo colocava. Não sei exatamente qual a situação dessas pessoas, mas percebo realmente uma demanda crescente por programadores. Basta olhar as ofertas de empregos. Aqui em Brasília, onde moro, esses profissionais são disputadíssimos. Os salários não são lá essas coisas, é verdade. Mas isso é assunto para os economistas. Por tudo isso, aí vai uma dica para aqueles que querem investir em uma profissão: seja um bom programador!

Formação superior na área é desejável. Mas você pode provar que dá conta do recado se tirar algumas certificações. Bom raciocínio lógico e matemático e gostar de se atualizar e de ler são essenciais para quem quer ser bem sucedido no setor de software. Se você está começando agora, um bom ponto de partida é estudar modelagem de dados. Depois disso, pode começar a estudar programação propriamente dita, mas não deixe de ler um pouco sobre análise e projeto de sistemas. Escolha uma linguagem (Java e Python estão em alta) e um ambiente (existem boas opções que utilizam software livre). O próximo passo é se certificar. Futuramente vou publicar um roteiro mais detalhado para quem quer se tornar um programador. Também estou preparando outro artigo sobre o futuro do desenvolvimento de software e como isso afeta a vida dos programadores.

Um comentário:

Anônimo disse...

intiresno muito, obrigado